Terra Goyazes


17/04/2011


DA SÉRIE: RESCALDOS DA CAMPANHA DE 2010 - O ATAQUE A LUÍS NASSIF

 

 

 

Não deveria causar espanto à Blogosfera os recentes ataques do Estadão ao jornalista Luís Nassif. É o fogo de resposta, derivado ainda da grande batalha que foi a campanha eleitoral de 2010. Embora não seja falso atribuir os ataques à sanha vingativa de Serra, o que acontece agora, a exemplo dos ataques da Veja e, de maneira mais parcimoniosa, da Folha e do Globo, compoem um todo coerente e articulado. Fazem parte de um método sistematizado e que tem sido a espinha dorsal de atuação do que Paulo Henrique Amorim nominou apropriadamente de PIG - Partido da Imprensa Golpista.

Tais ações por parte do PIG se dividem em duas partes: ações estratégicas, de fundo, ordenadas pelo Bureau, que dirige tanto as as ações midiáticas quanto as ações políticas da oposição (leia-se PSDB, DEM e PPS); e ações táticas, visando o ramerrame ordinário. As primeiras, que eu nomino de ações de longo curso, são como uma espécie de grade curricular da mídia engajada: ao comando do Bureau, saem a campo, como uma matilha de cachorros enfurecidos, a cumprir as ordens do dono. Fazem parte desse rol de ações de longo curso, aquelas destinadas a enfraquecer o governo Dilma, bem como aquelas visando a desconstrução imagem de Lula. Os iluminatti do Bureau decidiram que sem levar a cabo essas duas medidas, a oposição será, de novo, esmigalhada em 2014. Um exemplo comovente de como o PIG cumpre fielmente as ordens recebidas: na viagem da presidente Dilma à China, tirante as diferenças de matiz e enfoque, era unânime o esforço dos quatro cavaleiros do apocalipse (Folha, Estadão, Globo e Veja) em realçar o fracasso antecipado da viagem. As segundas, dentro das quais se inserem os assassinatos de reputação em série, são ações de varejo, permitindo aí, uma certa liberdade de manobra para os gerentes, os operadores braçais do Bureau. Estão inclusos aí os devaneios vingativos de Serra, os delírios imperiais de Eurípides Alcântara e os ataques de Gandour.

E aí me perguntam: mas quem compõe esse Bureau? Quem são os capas-pretas que infelicitam tanto, e por tanto tempo, a nação? A resposta, como o diabo, está nos detalhes. Quem trabalhou diuturnamente para derrubar Lula, nos oito anos de seu governo? Quem obrou ininterruptamente para impedir o marco regulatório das imensas jazidas do pré-sal? Quem concede bolsas generosas a jornalistas e parajornalistas para cursos intensivos, aqui e alhures, tendo como pano de fundo a preocupação com a 'democracia' e a liberdade de imprensa?

Diante da complexidade desse quadro, os ataques a expoentes dos blogs sujos assumem mais o caráter de desespero do que de ação articulada. A derrota eleitoral de 2010 ainda não foi assimilada. O próprio Nassif, um dos expoentes mais visíveis da Blogosfera progressista, sabe disso. Nós sabemos do jogo e dos riscos inerentes a ele. Nós somos o osso entalado na garganta do Bureau. E por sabermos disso, convém cuidarmos da retaguarda. O que está em jogo é algo muito grande. 

 

 

Alberto Bilac de Freitas

 

 

 

Escrito por Alberto Bilac de Freitas Nobre às 01h22
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Histórico